adeus

Os mais difíceis adeus são aqueles que se prolongam na memória, não os físicos ou os reais. Dizer adeus a alguém ou algo que foi importante na nossa vida é muito perturbador. Exige sacrifício, revisitar memórias, alteração comportamental e há quem prefira a isto tudo apanhar somente uma valente bezana. Parece que faz esquecer tudo, mas isso é mentira.
X ainda tem muitos adeus por concluír, finalizar, concretizar. Mas por qualquer razão, não é um pensamento que está constante na sua vida. Só por momentos, porque associa qualquer coisa a qualquer coisa, revisita o passado com tudo o que tem de bom e mau.
E aí, ao revisitá-lo, percebe que é uma boa pessoa, digna, de confiança. Valente até.
Poderia ser um qualquer azelha, porque o mundo actual é deles. Mas não, incomoda-se quando falha, tem dúvidas se é bom amigo ou se poderia ser melhor e até se preocupa se é bom na cama ou egoísta na mesma.
Será que são todos estes pensamentos que o impedem de dizer um adeus? De se despedir condignamente? Mas então para que é que se preocupa com estas coisas? Não será melhor dizer adeus a todas estas questões? Assim, de uma forma simples e directa, como… adeus!

Advertisements

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s