saúde

Dois grandes amigos de infância, tropa e festanças, entraram naquela idade em que a última visita poderá ser mesmo a definitiva. Numa viagem ao Algarve, juntaram as vontades e decidiram ir visitar um amigo que não viam há décadas.
Chegados à terreola, iam perguntando ali e acolá se alguém conhecia o Sr Z. E foi logicamente na taberna/café/mini mercado que alguém o conhecia. “O Z? Epá, vocês tiveram mesmo azar. O Z morreu…”
Os dois amigos ficaram chocados, mais ainda porque tinha sido durante essa mesma noite e o corpo estava a ser velado na capela da igreja. Foram imediatamente para lá, no passo mais rápido que a idade lhes permitia.
Ao entrar na capela, deram logo com Z, deitado num caixão aberto com um lenço rendilhado a tapar-lhe parte do rosto.
Calhou a W desenrascar um discurso fúnebre: “Epá Z, então vimos nós de tão longe para te rever e encontramos-te neste estado? Olha, não sei muito bem o que te dizer. Bem, boa saúde é que todos precisamos, portanto toma bem conta da tua, ouviste?”
Nessa altura, K agarrou no braço de W e sussurrou-lhe “Ó homem, despacha lá isto que já estás a dar muita barraca”.
No caminho de regresso iam relembrando os outros amigos da mesma altura. Mas não encontraram coragem para ir visitar um só que fosse.

Advertisements

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s