céu e inferno

Uma das aventuras mais fantásticas do Mr. X foi, sem dúvida, a dupla entrevista de emprego para o céu e para o inferno. X era top no que fazia e interessava aos dois lados, pois as suas capacidades eram valorizadas em ambos os campos.
A primeira foi no céu, onde um arcanjo o esperava com mau temperamento pois o lugar também era por ele pretendido.Voou-lhe à frente indicando o caminho para a porta de S. Pedro que já estava impaciente pelos dois minutos de atraso.
” Ouvi dizer que que o seu livro preferido é Entre o Céu e o Inferno…” perguntou asperamente. X encolheu os ombros e anuíu. “Também ouvi dizer que um dos seus filmes preferidos é o The Prophecy, certo?”. X novamente encolheu os ombros num trejeito concordante.
S. Pedro, vociferante, gritou “Mas oiça lá, como é que o céu pode saber o que você quer, se este ou o inferno?”
Realmente, ambas as peças criativas abordavam esses grandes espaços mostrando o mal do céu e o bem do inferno.
X decidiu não responder e pediu a S. Pedro que colocasse essas mesmas questões ao patrão divino. S, Pedro, furioso, estancou esbracejando e espumando “Ok, Ok! Deixe-nos reflectir no seu curriculum vitae.”
O arcanjo desceu X até casa, numa noite bem escura para não serem vistos.
No dia seguinte, outro arcanjo veio ter com X na esperança de o levar à presença do diabo. X, que já tinha visitado um dos lados e desejando ser imparcial, concordou com o convite e lá desceram 1001 andares para o centro da terra num elevador muito especial.
De frente para Satanás, que não tem um porteiro, ouviu exactamente as mesmas questões sobre o livro e o filme. As respostas foram idênticas e Satanás, coçando a barbicha, fez um pouco de sapateado com os seus cascos bem tratados enquanto decidia o que fazer.
Finalmente, ofereceu a X um vencimento um pouco abaixo do dele “Sabe, politiquices”…
Do céu e ouvindo a conversa através de um telefone vermelho, atiraram-lhe com a mesma proposta mais senhas de gasolina.
X pediu um dia de reflexão.
Passeou no jardim com o seu cão, quando uma criança ao brincar ofereceu um malmequer ao cão.
X ficou contente, pois atrás da criança surgiu uma aflita mãe, belíssima e com tudo no lugar.
Sorriram um para o outro e passaram a tarde no jardim, sentados num banco a conversar, enquanto a filha brincava com o cão.
No dia seguinte X pediu mais um dia. E outro e outro e outro.

Advertisements

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s