amanhã

X acordou com o seu braço biónico sem energia. Deslocou-se às urgências da fábrica-hospital mais próxima da sua área de residência, tirou uma ficha com o outro braço e sentou-se sabendo que iria ser um dia perdido. Com o seu olho gravador/retransmissor, decidiu ver alguns programas tv que tinha gravado enquanto dormia, séries muito antigas como o Heroes e o House fizeram-no reviver as memórias de outros tempos e outro mundo.
De facto, os jogos olímpicos de Pequim no início do Séc XXI despoletaram toda uma guerra de palavras e acções de protesto que rapidamente se transformaram na grande 3ª guerra. A China foi varrida do mapa e muitos dos seus sobreviventes fizeram plásticas para se assemelharem aos europeus, com um medo terrífico de serem descobertos e degolados em praça pública. Mas isso foi há muito tempo. A robótica já extremamente avançada a meio dessa primeira década, curiosamente liderada por portugueses, ajudou quem perdeu membros. Os opiácios quem perdeu a razão e toda uma nova ordem político-cultural quem perdeu o país.
Da noção de Big Brother passou-se para Big Order e o estado de sítio era permanente. O dia nunca mais se viu devido às nuvens de chuva ácida que, desde as bombas, pairavam na biosfera.
Não havia controlo polícial, pois em todos os sobreviventes foi colocado um chip que assinalava tudo o que faziam e por onde andavam. A população não estava envelhecida, pois os mais velhos não tinham resistido à guerra nem os poucos sobreviventes posteriormente ajudados. Pílulas de vitamínas várias e shots de antibióticos processados geneticamente, faziam com que quem tinha 30 anos no dia final, continuasse sempre com 30 anos.
X tinha pouco mais de 40 e por pouco se safou de ser considerado inútil para a sociedade. O seu emprego forçado foi o de tocar no botão de alarme na Grande Sala de Controlo da Vontade e Existência se algo acontecesse.
Tudo estava perfeitamente organizado. E foi aí que X teve acesso a documentos secretos, um pouco por sorte devido à interferência do seu chip informativo com o de um General que passou muito próximo dele e que ia a caminho de um check-up. Um dossier que se intitulava “Resistance” ficou memorizado no chip do cerebelo de X.
E a aventura humana recomeçava.

Advertisements

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s