xeque-mate

Esta é a aventura de um homem que se tornou numa peça de xadrez. Como, não interessa. Só se sabe que, num dia, acordou num corpo de madeira de um peão. Ficou, logicamente, atarantado, mas quando olhou para trás, viu uma rainha de porte altivo, bonita e muito elegante. Apaixonou-se de imediato, o que era facilitado pelo facto de só haver uma mulher para tanto homem. E isso sem contar com a outra rainha, inimiga, má e que só queria conquistar o reino que neste momento era o dele.
De jogo em jogo, ou batalha em batalha, o homem era sempre dos primeiros a ser sacrificado e começou a desejar um lugar mais alto na hierarquia, que lhe desse direito a um cavalo e a dormir numa das torres. Nesses momentos, via um dos bispos a passar-lhe à frente sempre com grande velocidade. Um outro peão tinha-lhe dito que era através do clero que ele conseguiria um favor e a partir daí desesperou por um encontro.
Foi-lhe difícil apanhar o bispo, mas quando o conseguiu falou-lhe da sua anterior condição como homem. O bispo percebeu que poderia ter nele um aliado contra a nobreza e passou-lhe o título de cavalo.
O homem agora tinha mais poder e acesso às torres. Algum tempo depois, já o rei e a rainha contavam com a sua valentia para guarda pessoal. E foi aí que ele conseguiu, finalmente, conhecer a gentil criatura. Percebeu logo depois que havia um enorme obstáculo, chamado… rei.
Decidiu conversar com o bispo. Este confidenciou-lhe que o rei era um fulano lento, que só andava de casa em casa. Mas era matreiro e difícil de apanhar. Para tirá-lo do tabuleiro, precisaria da ajuda do adversário, principalmente da rainha má.
O homem estudou todas as possibilidades. Era-lhe difícil atraiçoar os seus, mas a paixão falava mais alto. Até que aconteceu outro jogo, outra batalha. O adversário estava muito forte, desta vez. Dizia-se que havia uma força russa por trás, mais sapiente e mais aguerrida. Um a um, todos os soldados de ambos os lados eram removidos do tabuleiro. Até que restou ele, o seu rei e rainha e a rainha má com as suas duas torres.
Durou muito tempo o xeque ao seu rei. As duas torres más deram a vida por isso e a rainha má estava em condições de terminar a batalha. Foi aí que o homem percebeu que essa rainha era tão ou mais bonita que a sua. E a dúvida instalou-se: quem ajudar? A sua que ficaria com o seu rei, ou a má que ficaria com ele?
Ainda hoje o tabuleiro está na mesma.

Advertisements

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s